21 de mai de 2015

Glória Dantas e-book




Para baixar,clique no livrinho da barra lateral e quando terminar de baixar, abra a pasta de download e arraste o arquivo compactado para a área de trabalho do seu pc. Clique nele com o botão auxiliar do mouse e em "Abrir Aqui". Pronto. Já está instalado. Agora é só dar um duplo clique e ver o e-book.

12 de dez de 2014

30 de set de 2012

É intenso o meu silêncio...

É intenso o meu silêncio...
Nem por isso as estrelas deixarão de brilhar
Só porque estou triste,
A lua, não vai se esconder...
O sol não vai perder sua luz
As aves seu lindo cantar
As rosas não irão morrer
Esconder seu perfume entre folhas e espinhos,
Porque meu coração está machucado.
Se me perdi na estrada,
Eu que aprenda a me encontrar.
Parada no tempo, abraçada ao meu silêncio...
Serei planta morta, sem rastro... Fantasma da solidão

Gloria Dantas

23 de jul de 2012

Ver-te assim me dói



Ver-te assim me dói,
pois sempre te amei pela tua força,
pela tua independência.
Não é porque acabou,
que quero ver-te desta forma,
desesperada, deprimida.
Me queres? Mostre-me o que perdi
e não do que me livrei!

Gloria Dantas

...

4 de jul de 2012

Eu caminho, caio, levanto...


Eu caminho, caio, levanto...
...até que uma hora o desânimo me vence.
Não sou tão forte como imaginei ser.
Por isso meu mundo é pequeno...
Se resume em borrões e canetas.

Gloria Dantas

25 de jun de 2012

21 de mai de 2012

Saudade



Saudade

A saudade deixa a alma inquieta.
E quando a ausência se torna eternidade,
vem a alucinação de procurar asas
nos braços do vento,
nas folhas que voam sem rumo.

Assim sou eu, folhas perdidas!

Glória Dantas

24 de jan de 2012

Há momentos...


Há momentos
Em que sentimos o coração apertado.
Uma vontade de chorar
E as lágrimas se escondem...
Procuramos o motivo
E não encontramos.
Em seguida uma dor no peito
Sufocando a alma , que horror!
Perdemos um pouco a razão
E silenciamos ...
Esse silêncio incomoda
Quando na verdade queremos gritar.

Gloria Dantas

23 de set de 2011

LÁGRIMAS...


Lágrimas
(Regina Helena)

Sinto-me sem rumo, sem destino
Numa estrada de dor e solidão
Os olhos embaçados pelo pranto
Que vão deixando a trilha pelo chão.

Quero gritar a dor que me apavora
Quero acender no peito a esperança
Apagar as sombras, ver de novo a luz
Nessa espessa neblina, ver bonança.

Em mim já não há paz, só há saudade...
E sei que é em vão esse viver
Ferindo-me nas pedras do caminho.

Quero acordar, voltar à realidade
Calar a dor e o coração fechar
E aprender a caminhar sozinho.

A saudade deixa a alma inquieta...

E quando a ausência se torna eternidade...

Vem a alucinação de procurar asas nos braços do vento.

Nas folhas que voam sem rumo.

Assim sou eu, folhas perdidas!

Glória Dantas

19 de set de 2011


É intenso o meu silêncio...

Nem por isso as estrelas deixarão de brilhar

Só porque estou triste,

A lua, não vai se esconder...

O sol não vai perder sua luz

As aves seu lindo cantar

As rosas não irão morrer

Esconder seu perfume entre folhas e espinhos,

Porque meu coração está machucado.

Se me perdi na estrada,

Eu que aprenda a me encontrar.

Parada no tempo, abraçada ao meu silêncio...

Serei planta morta, sem rastro... Fantasma da solidão

Gloria Dantas

30 de jul de 2011

Se seis dias da semana foram de felicidade, mas o último foi triste, então, para muitos, a semana não existiu. Pode-se entender a espécie humana?

Glória Dantas

..........................................................

“Cada cabeça sua sentença”.

No caminho de muitas pessoas sou vista como espinhos ou pedras.

Vários motivos me levam a crer, que me importa que pensem assim? Não posso mudar minha maneira de pensar ou agir. Já fui muito de ruminar, já não o faço mais.

Procuro caminhar sempre na certeza de acertar, se por acaso tropeçar, não vou jogar culpa em ninguém, levanto a cabeça e vou enfrente. Baixar, nunca! Caso isso aconteça, jamais terei bravura para erguê-la. Isso pode ser comigo ou com você. Não passo a mão na cabeça de quem está errado, nem faço vista grossa. O mesmo não faça comigo, pois não irei mais acreditar em você.

Complicado, sermos nós mesmos. Por isso vivo cercada de vazio.

Glória Dantas.

29 de mai de 2011


Eu quero sorrir...

Não esse sorriso sem vida.

Olhar o céu sem os olhos da morte.

Adormecer sem medo da solidão...

Despertar crédula que tudo é passageiro.

Glória Dantas

18 de abr de 2011


EU JÁ CAI MUITAS E MUITAS VEZES

E NUNCA DUVIDEI QUE ME LEVANTARIA.

HOJE JÁ NÃO TENHO MAIS ESSA CERTEZA.

A UNICA CERTEZA QUE TENHO É DE SUMIR

IR EMBORA SEM QUERER.

FOI À ÚNICA SAIDA QUE ENCONTREI

SEI QUE VOU SENTIR BASTANTE SAUDADE

QUE IMPORTA? SE MORTA ESTOU.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE FICAR OU NÃO.

GLÓRIA DANTAS.

15 de abr de 2011


As lágrimas tomaram conta, embaçando a visão.

As mãos indo rumo ao teclado, só o coração batendo...

Uma hora lento outro acelerado.

Vou deitar, o corpo pede piedade.

Glória Dantas.

29 de mar de 2011

De canção em canção...


De canção em canção...

Levo esse corpo cansado
que embala meus sonhos
de criança perdida,
de alma atormentada
e coração aflito

Desordenado, sem direção
como um lago parado
esse corpo cansado
oculta o vazio que existe em minha alma

E assim, de canção e canção
Vou aliviando a dor
de não saber de nós
e ter que viver
sem jamais te achar.
.
Glória Dantas


6 de mar de 2011


Chegou a hora de dizer adeus...

Abandonar a bagagem de sonhos

E escutar mais o meu coração.

Ele pede:

Quero minha liberdade!

Glória Dantas


Não sei viver de aparências...

Sou verdadeira

Sem “papas na língua”.

Manobrar a realidade não é fácil.

Restaurar os danos também não.

Solitário coração ferido..

Mergulhado no remorso

É o preço, da minha franqueza.

Tentei mudar, não teve jeito..

Assim vou vivendo, juntando pedaços de mim.

Glória Dantas